segunda-feira, março 19, 2007

FECHOU ONTEM NO CCB

O Centro de Exposições do Centro Cultural de Belém fechou hoje as suas portas para abrir em Julho, creio eu, o Museu Berardo.
Não sou um entusiasta do CCB, nunca fui, mas existe e custou muito dinheiro, dos contribuintes claro, e funcionou durante vários anos e com algumas exposições que até eu gostei. Como Centro de Exposições tinha uma rotatividade de eventos de cariz muito diverso, já como museu estará focado numa única colecção, por muito variada que ela seja.
Para além de ficar restrito a uma colecção e a uma fundação, a equação a considerar é mais complexa pois implica investimento por parte do Ministério da Cultura que, é bem sabido, não é uma entidade abastada. Não falo apenas da verba prevista e contratualizada para aquisições, mas também noutras eventuais despesas de funcionamento e ausência de receitas.
Não é conhecido o enquadramento orçamental do acordo estabelecido com o comendador Berardo, pelo que ninguém sabe quanto é que tudo isto vai custar (a mais) aos contribuintes. Talvez seja altura de esclarecer todas estas dúvidas, senhora ministra da Cultura.
*** * ***
A BELEZA EM FOTOGRAFIA


*** * ***

CARTOON

O receio da gripe aviária

4 comentários:

Joca disse...

Pelos vistos vai haver dinheiro para o museu do comendador, já os museus nacionais e o património ficam à míngua, sem dinheiro até para contratar vigilantes.
É o socialismo à portuguesa, concerteza!
Continua a manguitar

Anónimo disse...

Berardo é aquele figurão que foi enganado pela adivinha que lhe ficou com uns cobres? Afinal o governo ainda é mais otário pois deve acreditar em fadas e duendes.

Laurentina disse...

Boa venham mais subsidios pós padrinhos, pos sobrinhos e afilhados ...cambada de salafrarios...pulhas...chupistas!!!
Berardo..."barada" fico eu com a cara sem vergonha destes gajos!!!
Ai que até me apetece morder!
Inté beijo grande

o guardião disse...

Depois da entrega anunciada do Palácio da Pena ao Monte da Lua estará na calha a alienação de mais alguma jóia do nosso Património à gestão privada? Se calhar os Jerónimos para sustentar o Museu do Comendador...