sábado, dezembro 02, 2006

CONVERSAS DA TRETA

Na revista Notícias Sábado de 2 de Dezembro pudemos ler uma pequena entrevista a uma Subdirectora do Instituto Português de Museus acerca do número de visitantes em 2006.
Todos estamos contentes por se registarem mais entradas nos museus, nomeadamente de visitantes nacionais, mas o que todos gostavam de saber era a percentagem de aumento das receitas de bilheteiras e das lojas já que o maior problema da Cultura em Portugal é de verbas.
O ponto negativo da entrevista (Dois dedos de conversa) foi a referência do entrevistador ao encerramento na época da Páscoa e sobretudo a resposta sobre a solução para esse problema. Em poucas palavras, a dita “clássica guerra da Páscoa” não é nenhuma guerra nem é clássica porque por definição greve é desobediência, que não é compaginável com atitude clássica. Quanto às causas da greve e como resolver o problema, não será com declarações como “é um problema de trabalhadores e do direito à greve” que lá se chega. É um problema de política cultural para o qual o ministério não mostra qualquer sensibilidade.
Em causa estão sobretudo lacunas como a ausência de horários dos guardas de museu, distorções sobre a aplicação do diploma de carreiras (que até vai ser mais uma vez alterado), ausência de formação profissional há muitos anos e sobretudo a falta de pessoal que mesmo sem greves já afectou diversas vezes o normal funcionamento dos serviços.
Só para que não se diga que o ministério não está a par dos problemas acrescento que, tal como aconteceu em 2005, a véspera de Natal coincide com um fim-de-semana e o pedido, feito insistentemente, para que houvesse tolerância de ponto no dia 24 ainda não teve resposta. Os guardas de museu que trabalham aos fins-de-semana e feriados desejam passar a Consoada com os seus familiares, até hoje o ministério e os institutos por ele tutelados continuam mudos.
Talvez seja pedir demais a quem não vê em causa essa reunião familiar por nunca trabalhar aos domingos.

5 comentários:

papagueno disse...

Realmente esta ministra precisa de alguma cultura humana.

Sintrense disse...

Como querem ser recebidos se a senhora anda a banhos pela América do Sul?

o guardião disse...

Publicidade é o que Sócrates domina na perfeição, agora parece que também temos alguém que já esteve ligado à Cultura que também lida com destreza com a comunicação social.
Cada vez é mais difícil distinguir a notícia da publicidade...

Palaciano disse...

Conhecia senhora há alguns anos e o que posso dizer é: como mudou...

Anónimo disse...

O Natal não é para todos, nem todos somos iguais e o Sol quando nasce só ilumina ... os mais altos.
Sabedoria popular