quinta-feira, outubro 26, 2006

SEM DESCULPA

O Instituto Português do Património Arquitectónico atrasou-se no pagamento dos ordenados dos funcionários dos serviços dependentes, ou seja, os que trabalham nos palácios e monumentos sob a sua alçada.
Ontem (23/10), só receberam os funcionários da direcção e serviços centrais. Contactada pela CM, a direcção do IPPAR declarou-se alheia ao sucedido: “As verbas solicitadas atempadamente só ontem foram libertadas e a situação será reposta amanhã [hoje] ou quarta-feira, o mais tardar”.

O que se passou é o exemplo preciso do que não pode acontecer:
1º A direcção não devia estar alheia perante factos que não configuram a normalidade.
2º Os funcionários dos serviços dependentes deviam ser avisados atempadamente da situação
3º As coisas afinal não correram como foi dito à comunicação social, pois os pagamentos só foram efectivados no dia 26/10 quinta-feira.
Agora foi o atraso no pagamento dos salários, que esperamos não se repita, para o começo do ano veremos a explicação que será dada pela falta de pessoal de guardaria nos palácios e monumentos.

3 comentários:

Sintrense disse...

O mais grave e indesculpável foi o facto de não terem o rebuço de receber sabendo que, por incúruia própria, havia muita gente, quiçá mais necessitada, que ainda não tinha os salários a pagamento. Os cursos de gestão que frequentaram não deixaram marcas no que concerne à gestão de recursos humanos.

Zé do Penico disse...

Pagaram, é uma forma de dizer, porque há pagamentos de trabalho extraordinário e de cedências de espaços que continuam por pagar...

Anónimo disse...

Será que os monumentos e palácios têm tido menos visitas este ano?