quinta-feira, Outubro 23, 2014

PENSAMENTO SOBRE JUSTIÇA

“Sejam as leis claras, uniformes e precisas, porque interpretá-las, quase sempre, é o mesmo que corrompê-las”.


Voltaire


terça-feira, Outubro 21, 2014

PASSOS VIU A LUZ?



Ao longo destes últimos 3 anos Passos Coelho e o seu executivo têm sucessivamente, e reiteradamente, apresentado medidas que estavam feridas de inconstitucionalidades gritantes, e foi uma constante ver e ouvir membros do governo a culparem o Tribunal Constitucional e a Constituição pelas medidas com que nos tem espremido.

Numa altura em que se percebe que o executivo já não passa duma manta de retalhos, em que nem sequer os incompetentes são demitidos, talvez porque não haja substitutos para os lugares, e que se questiona se não devemos aproveitar para ter eleições antecipadas, até porque as previstas tornam bastante difícil a elaboração dum Orçamento de Estado para 2016 com alguma tranquilidade, Passos Coelho volta a mostrar a sua teimosia.

Com a mesma cara-de-pau com que até há pouco se desculpou com a Constituição de com o TC, Passos Coelho vem agora apoiar-se na Constituição para rejeitar eleições antecipadas, dizendo até estar a pensar no país.

O actual 1º ministro ficará para todo o sempre como o governante que mais vezes deu o dito por não dito, sem nunca se retratar perante os eleitores portugueses. A demissão ficava-lhe bem, mas este senhor é demasiado teimoso para fazer o que é correcto!



domingo, Outubro 19, 2014

O TRATADO DE WINDSOR

A mais antiga aliança diplomática entre dois países, que ainda está em vigor, foi estabelecida entre Portugal e a Inglaterra em 1386, e veio renovar a Aliança Anglo-Portuguesa estabelecida em 1373.

Depois da Batalha de Aljubarrota D. João I foi reconhecido como rei de Portugal, pondo assim fim à crise de 1383-1385, e foi depois disso que D. João I  e Ricardo II de Inglaterra assinaram o Tratado de Windsor. O último acto de confirmação deste desta aliança terá sido o casamento do monarca português com D. Filipa de Lencastre em 1387.

Esta aliança entre os dois países foi depois sobressaltada em pelo menos 4 ocasiões: durante a dinastia dos Filipes, em 1640 quando nós solicitámos a ajuda inglesa para expulsar os espanhóis, no século XIX por ocasião do Ultimato por causa do caso do Mapa Cor-de-Rosa, por alturas da I Guerra Mundial e depois durante a II Guerra Mundial.


O que talvez seja menos conhecido é o facto do rei D. Carlos se ter deslocado a Inglaterra, a convite de Eduardo VII, com a intenção de apertar as relações de cordialidade entre as duas nações. A 16 de Novembro de 1904 é assinado um tratado de arbitragem que ficou conhecido por Segundo Tratado de Windsor, que pretendeu desanuviar a situação causada pelo Ultimato e também salvaguardar os interesses portugueses nos territórios africanos, ao mesmo tempo que renovava a aliança assinada na sequência da Guerra dos Boéres, em Outubro de 1899.

1

sexta-feira, Outubro 17, 2014

A TOLICE PINTADA DE VERDE

A peregrina ideia dos impostos verdes é um verdadeiro insulto à nossa inteligência, porque como se sabe o governo apenas pretende arrecadar uns cobres taxando algo que sabe que é muito usado e portanto pode render uns bons milhões.

Podem-me dizer que se podem usar sacos de papel, como nos States, ou então uns sacos de pano, como aqueles que se usavam para o pão, nos bons velhos tempos.

São tudo falácias, porque se fossem usados sacos de papel diziam que era necessária uma taxa para a reflorestação, e com os de pano outra razão seria inventada, como a dos inconvenientes da sua lavagem para o ambiente.

Se o uso irresponsável dos sacos de plástico, existe por parte de quem não sabe ou quer reciclar o lixo que produz deve ser punido, será que o hábito responsável de reciclar não merece ser recompensado? 

Afinal há quem lucre com o lixo que produzimos, e ainda mais com o que já vai devidamente separado para ser reciclado, mas quem é consciencioso paga pelo lixo que gera e pelos danos ambientais dos irresponsáveis, e pelas empresas que colocam o seu lixo em aterros sanitários.

A conclusão a tirar sobre esta fúria em taxar, é que perante este governo os cidadãos são todos os inconscientes e portanto devem pagar todos por essa inconsciência. Elementar, meus caros...
  

quarta-feira, Outubro 15, 2014

O MAU MODELO ECONÓMICO



Os portugueses estão já a pagar muito caro o mau modelo económico seguido por este governo, baseado nos baixos salários e na destruição da coesão social com os cortes nas transferências para este sector.

Uma das evidências está plasmada em números da OCDE onde fica claro que Portugal é um dos países da Europa onde se trabalha mais horas por ano, e com salários dos mais baixos. Para os mais distraídos, que nos querem passar por parvos, fica o registo de que trabalhamos mais 324 horas que os alemães por menos 7.484 euros.

Mas os maus resultados deste péssimo modelo económico não se esgotam nestas diferenças de horas trabalhadas e nos baixos salários praticados, porque não nos podemos esquecer dos reformados que viram a sua situação ficar bastante pior, e dos desempregados que além de terem aumentado duma forma alarmante, também viram reduzidos os subsídios e outras ajudas sociais.

Com quase metade da população na miséria ou em claras dificuldades económicas, só nos resta correr com quem tão mal nos governou nestes últimos anos, e exigir compromissos claros dos candidatos a governar proximamente este país. Não pedimos o céu, mas tão só honestidade na gestão da coisa pública.


Cão by Leonid Afremov