segunda-feira, janeiro 26, 2015

DEMOCRACIA



Estas eleições na Grécia vieram mostrar que os cidadãos podem usar o seu voto para desancar os partidos políticos que se acomodaram e nos conduziram à crise que vivemos.

Em Portugal vemos muita gente a refilar, porque a vida está cara, o desemprego é uma praga, os salários são miseráveis, os políticos são incompetentes, há muita corrupção, mas quando chegam as eleições ou não votam. Ou então votam nos partidos que têm dividido entre si o poder.

Os gregos não sabem bem o que esperar do partido que eles agora escolheram, mas sabem que não estão dispostos a aturar os mesmos de sempre, que culpam pelos males que enfrentam. Um novo partido acarreta consigo alguma esperança, por muito ténue que seja, pois não foi conivente com os desmandos do passado.

Hoje também eu sou grego.


CARTOON
1
FOTOGRAFIA
Creta - Grécia

sábado, janeiro 24, 2015

A RELIGIÃO E OS COELHOS

Ainda há poucos dias o Papa dizia que”… há quem pense que, para sermos bons católicos, devemos ser como coelhos”, frase que foi tema de comentários de toda a ordem, quer entre católicos, quer entre pessoas de outra religiões ou mesmo sem nenhuma religião.

Eu cá li apenas a frase e pensei imediatamente num coelho detestável, e pensei que o Papa até tinha razão, porque ninguém devia ser como aquele láparo que todos detestam. Obviamente que ler a frase fora do contexto até pode conduzir a conclusões precipitadas.

Hoje li uma notícia em que uma freira “foi ao hospital com dores de barriga e saíu de lá com um filho nos braços”.


Eu respeito todas as religiões, mas acho que tenho a liberdade para aconselhar o Papa Francisco, que tem sido bastante lúcido enquanto homem, a ensinar aos membros do clero quais as possíveis consequências do sexo sem preservativo, porque esta já é a segunda confusão em conventos italianos.


quinta-feira, janeiro 22, 2015

A BAZUCA DO BCE



A chamada “bazuca” anunciada por Mário Draghi, sempre recusada pela senhora Merkel e também por Pedro Passos Coelho, vai acontecer ao ritmo de 1,45 mil milhões de euros mensais em Portugal.

A pergunta que muitos fazem é se todo este dinheiro entregue sobretudo a bancos, vai ter algum impacto na economia e no bolso das famílias portuguesas.

Sendo óbvio que os bancos perseguem o lucro para os seus accionistas, em primeiro lugar, e com as práticas conhecidas em alguns bancos nos últimos anos, todas as dúvidas são legítimas.

Com esta medida do BCE pode-se esperar algum alívio nas taxas de juro para as famílias com empréstimos, mas a contrapartida está na ausência de rendimento para as poupanças. Outra consequência óbvia será o aumento da inflação que é uma diminuição real dos salários ou das pensões auferidas.


terça-feira, janeiro 20, 2015

A PALAVRA QUE PAULO PORTAS FEZ POR IGNORAR

Manipular a opinião pública tornou-se habitual na política nacional e alguma imprensa embarca facilmente nesta manobra típica, especialmente quando as eleições legislativas se aproximam.

Repare-se que Paulo Portas veio afirmar que a palavra mais pronunciada nos últimos anos foi "ajustamento", mas que a palavra que as pessoas vão perceber através dos seus salários, das suas pensões e do seu IRS, será "recuperação".

É lamentável que se venha dizer que os funcionários públicos vão receber mais a partir deste mês, bem como os pensionistas, quando o que se passa é que lhes vão ser devolvidos alguns montantes que o governo lhes subtraiu alegando a emergência nacional, que obviamente não era da responsabilidade dos espoliados.

Para que conste, e porque as declarações foram feitas por Paulo Portas, convém repor a verdade e reiterar que a palavra mais usada em 2014 foi "corrupção", que pelos vistos não lhe agradou muito, porque dela não se recordou. 


segunda-feira, janeiro 19, 2015

IMAGENS ANTERIORES A 1755

Imagens duma Lisboa, e arredores, anterior ao terramoto de 1755. 

Paço da Ribeira 

Mosteiro dos Jerónimos

Hospital Real de Todos-os Santos

Convento de Mafra