sábado, abril 29, 2017

CULTURA E VANDALISMO

Um vândalo resolveu registar sobre uma gravura antiga e situada num local classificado como Património da Humanidade, uma bicicleta, que será talvez o seu orgulho, ou a moda mais recente a que aderiu.

O idiota não será com toda a certeza um pobre analfabeto, pelo que a sua acção é um crime, já que não pode declarar que desconhecia o local onde estava, nem a gravidade do seu acto.

Infelizmente todo o nosso Património está sujeito a coisa do género, não só por falta de pessoal de vigilância, mas sobretudo porque não se investe na sensibilização dos públicos, começando pelo público escolar e pelos professores que podem ser agentes próximos nessa tarefa.

Meu nabo, o que te pedi foi uma bicla...

Diga-me, afinal onde está a gravura da bike?

quarta-feira, abril 26, 2017

TAL DONO TAL CÃO

Hoje perguntaram-me se achava que existem cães perigosos, a propósito de notícias triste bem recentes, e confesso que só encontrei uma resposta adequada: os cães são um espelho dos seus donos... É uma frase feita? Pois seja, mas é bem verdadeira.


domingo, abril 23, 2017

A BIBLIOTECA CONGELADA

Uma das mais bonitas bibliotecas do mundo é a do Palácio Nacional de Mafra, disso não temos dúvidas, e é por isso mesmo que falo dela.

Li há dois dias uma notícia num jornal, e o que mais me chamou à atenção foi precisamente o título, que pelos vistos foi tirado das declarações do director do monumento, e que era “a biblioteca de Mafra está congelada e isso é bom”.

Este título não é para se ler duma forma literal, eu sei, mas é curioso como a minha opinião também se podia descrever quase com as mesmas palavras.

Todo o monumento é um perfeito congelador em boa parte do ano, e as temperaturas são muito constantes, o que é bom para a conservação, mas não será simpático para quem lá trabalha, a menos que seja num escritório climatizado. Eu diria que o monumento parece estar congelado no tempo, que pela falta de cuidados na conservação do edifício, quer na informação disponibilizada no percurso museológico.

Curiosamente, e referindo-me especificamente à biblioteca, notei pela notícia que ainda se desconhece muito sobre os livros que lá se encontram, e pelo que me disseram numa visita feita no ano passado, os muitos volumes que lá se encontram não estão digitalizados, e nem sequer é público o espólio existente naquele espaço.


É uma pena que muita coisa esteja “congelada”, e acredito que como eu, muitas outras pessoas gostassem de ter acesso a mais informação sobre esta maravilha do nosso Património.


sexta-feira, abril 21, 2017

OS “PEQUENOS” MANDÕES

Infelizmente é mais comum do que se possa pensar, existem muitas figuras sem jeito nem poder efectivo, que se fazem valer da sua posição favorável, obtida não por competência nem capacidades demonstráveis, para “poder mandar” nos outros, muitas vezes muito mais conhecedores, mais competentes e assíduos.

Pessoas desta jaez não trazem nada de positivo aos serviços, prejudicam e minam as equipas, usando os seus “poderzinhos” dividir para reinar, insinuando-se sempre perante as altas chefias como indispensáveis e capazes de resolver problemas, usando o medo e a ameaça como armas preferidas.

Há um ditado popular que encaixa na perfeição em situações destas: não peças a quem pediu, nem sirvas a quem serviu.


Chefias que não sabem escolher os seus coadjuvantes, que não sabem ajuizar sobre a competência dos seus subordinados, que não sabem defender as suas equipas, merecem falhar e ter serviços desmotivados e pouco produtivos, pois também são incompetentes para chefiar.