quinta-feira, abril 19, 2018

AS PRIORIDADES DE CENTENO

Mário Centeno, o mesmo que chegou a ser apelidado de Cristiano Ronaldo das Finanças, é apenas mais um político ambicioso, na linha de Durão Barroso e de Vítor Gaspar, que não hesitaram em usar os seus cargos nacionais para conseguir um lugar em instâncias europeias, muito melhor remunerados e com uma projecção que lhes garante o futuro profissional.

Os feitos deste Ronaldo, muito ligados à pressão dos parceiros de esquerda do Governo, e ao aumento das receitas do turismo, não são devidos a uma excepcional habilidade do ministro, cujo pensamento está a milhas do que se passou nestes anos iniciais do executivo de António Costa, basta ler os seus escritos.

O último exemplo do que afirmei foi a reacção inicial do ministro Centeno quanto aos aumentos dos funcionários públicos, que segundo ele não aconteceriam nem em 2019, para não fazer perigar a recuperação económica, e agora sem mais nem porquê, admite que se for necessário ajudar o Montepio, está disponível, ainda que não se conheçam sinais dessa necessidade, pelo menos dados pelas autoridades reguladoras.

Foi um passo em falso do ministro, mas deu para perceber bem as suas prioridades...


terça-feira, abril 17, 2018

DESLUMBRAMENTO E GANÂNCIA


Com a verdadeira explosão que se verificou nos números relacionados com o turismo e com o “Portugal está na moda”, logo despontaram por todo o lado os oportunistas e gananciosos, para os quais o limite é a Lua.

A banca abriu os cordões à bolsa, as rendas dispararam, com elas os despejos, e parecia que tudo estava de acordo com a oferta e a procura, as tais regras do mercado, mas parece que se esqueceram dum pormenor, a concorrência.

Só este ano vão abrir uma centena de hotéis em Portugal, o número de apartamentos para aluguer de curta duração duplica todos os anos, os Hostels proliferam por todo o lado, e as casas para venda a estrangeiros são cada vez mais, como se todos tivessem descoberto o filão inesgotável.

Infelizmente, tudo tem limites e o filão está a esgotar-se a passos largos, e como ninguém se atreveu a regular tudo isto, defendendo os autóctones, já começámos a ultrapassar os limites, e os fluxos que pareciam não ter fim, começam a abrandar, senão mesmo a regredir, porque não é o turismo que ultrapassou os limites, mas sim a ganância que está a matar a galinha dos ovos de ouro.


domingo, abril 15, 2018

A ALDRABICE NA POLÍTICA


A palavra dos políticos, em geral, não vale absolutamente nada, uma vez que o discurso na oposição e em período de campanha eleitoral, é o inverso daquele que depois fazem quando estão instalados no poder.

Quem não ouviu o PS dizer que os funcionários públicos tinham sido os mais castigados nos anos da crise e sob o governo encabeçado por Passos Coelho, e depois de estar no poder os ouve dizer que aumento nem sequer em 2019, e que os descongelamentos de escalões serão feitos às prestações, como se isso fosse alguma benesse e não uma reposição de direitos.

Outra promessa frustrada é a do alívio dos cortes nas reformas antecipadas (e estou a falar em carreiras de mais de 40 anos), em que já está em incumprimento do acordado para 2018, como também já se prepara para falhar com o prometido para 2019.

Não há como classificar tudo isto sem ser como promessas não cumpridas, ou como mentiras por parte de António Costa e do seu executivo, e isso deixa-o bem a par do seu antigo opositor Passos Coelho, que aqui tanto critiquei.

Será que a mentira será recompensada em próximas eleições?